CPS valoriza iniciação científica e tecnológica

30 de abril de 2021

Compartilhe!

Diversas iniciativas da instituição visam incentivar e formar alunos com espírito investigativo | Foto: Divulgação

Os debates sobre a Covid-19, as vacinas e as formas de transmissão do coronavírus trouxeram à tona temas muitas vezes relegados a segundo plano, como a pesquisa e o método científico. Jornais, programas de TV e conversas nas redes sociais passaram a tratar de ciência. Nas Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais, a iniciação científica – uma das portas de entrada para esse universo – está presente em uma série de iniciativas que visam formar alunos com espírito investigativo.

Durante o segundo Simpósio de Iniciação Científica e Tecnológica promovido pela Unidade do Ensino Superior de Graduação (Cesu) do Centro Paula Souza (CPS), 55 projetos de iniciação cientifica foram apresentados. O número se refere a trabalhos elaborados dentro de programa de bolsas, como as que são oferecidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). “O número de projetos de iniciação científica na instituição deve ser muito maior porque há trabalhos executados voluntariamente. A pesquisa é sempre incentivada ao longo de todos os cursos”, afirma a coordenadora do Grupo de Trabalho de Iniciação Científica da Cesu, Renata Castro Cardias.

Neste momento, há dois editais abertos para que estudantes de Etecs e Fatecs possam iniciar projetos de pesquisa com bolsas do CNPQ. As inscrições podem ser feitas até 28 de maio. Confira os detalhes aqui.

Para convidar os alunos a entrar no universo da ciência, a Fatec São Paulo realiza nesta sexta-feira (30), às 14 horas, uma live para debater possibilidades de projetos sobre Eletrônica e Microeletrônica. O coordenador do curso voltado a essa área na Fatec, Victor Sonnenberg, um dos organizadores do evento virtual, diz que o objetivo da iniciativa é atrair estudantes para a pesquisa. “Algumas das linhas de trabalho são tecnologia de vácuo e processos de fabricação de dispositivos”, conta.

Além dos programas de bolsas e das iniciativas voluntárias, existem outras possibilidades para os alunos. O projeto Gestão de Concursos de Iniciação/Pré-iniciação técnica e científica, ligado à área de Capacitações da Unidade do Ensino Médio e Técnico (Cetec) do CPS, visa desenvolver o espírito de pesquisa entre estudantes, professores e diretores. Para isso, promove eventos como o Prêmio Eseg de Gestão, atualmente suspenso por conta da pandemia. “O jovem trabalha dentro dos parâmetros da metodologia científica para desenvolver um projeto”, diz o coordenador de projetos Marcos Yamakawa. Neste momento, a instituição está em tratativas com a própria Eseg e com a Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) para novas ações.

Quando realiza um projeto de pesquisa, além de se aprofundar em uma área, o estudante desenvolve habilidades que interessam aos empregadores. “O mercado valoriza a pesquisa porque está sempre em busca de inovação”, explica Renata. “É preciso incentivar nossos alunos para que possam construir soluções de forma inovadora, criativa e empreendedora.”