Veja como acompanhar as novidades das aulas online


7 de maio de 2020

Compartilhe!

Unidades do CPS retomaram as aulas utilizando plataforma Microsoft Teams, que permite diversos recursos de interação | Foto: Divulgação

Unidades do CPS retomaram as aulas utilizando plataforma Microsoft Teams, que permite diversos recursos de interação | Foto: Divulgação

Tudo é novidade neste momento de retomada do ano letivo para a comunidade de alunos e professores das Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais. Os desafios não são poucos, mas podem ser encarados também como oportunidades de crescimento. Para ajudar os educadores nesta nova jornada, confira as recomendações organizadas com apoio da Unidade de Ensino Superior e Graduação (Cesu) e do Grupo de Estudo de Educação a Distância (GEEaD) da Unidade do Ensino Médio e Técnico (Cetec).

1. Aproveite as aulas ao vivo para transmitir uma mensagem de acolhimento e retomar os vínculos com a turma. Lembre-se que, por enquanto, as aulas remotas serão o principal contato entre vocês. Por isso, valorize esse momento!

2. Use o máximo de objetividade e clareza para se comunicar. Nos primeiros encontros remotos com os alunos seja direto e explique como vão funcionar as novas regras. Haverá chamada? Atividade individual ou em grupo? Como serão as avaliações? Mantenha sempre um canal aberto para feedbacks e sugestões dos estudantes. As regras são importantes, mas podem ser flexíveis. 

3. Explore outros formatos para as suas aulas, acrescentando, por exemplo, conteúdos gravados que podem ser indicados para exposição de matérias mais complexas. A gravação permite que o professor se prepare previamente para resolver uma fórmula complexa ou fazer um gráfico ou mapa relacionado ao tema do dia. Esse conteúdo ficará disponível para consulta na plataforma.

4. Conheça bem a plataforma Teams para usar as ferramentas com segurança e pertinência. Evite improvisos e aproveite os recursos disponíveis que possam ajudar nesta jornada.     

5. Não se aventure. Por mais que você domine o assunto, o plano de aula é indispensável. Como no formato presencial, vale reforçar que a aula deve ter começo, desenvolvimento e fechamento.

6. Uma sugestão para manter a atenção dos alunos mesmo a distância é planejar a aula em três momentos principais: primeiro sensibilize e engaje a turma, explicando por que vai falar sobre aquele tema. Depois faça uma explanação do conteúdo e terceiro ponto é o fechamento, quando o aluno pode ser estimulado a opinar sobre o assunto. Esta estratégia de sala certamente vai funcionar também no virtual.

7. Mescle momentos de explanação e de participação dos estudantes. Educação online não pode ter mão única. No ambiente digital, a interatividade é essencial para manter a atenção do aluno e garantir audiência.

8. Explique aos alunos que as atividades práticas previstas na grade curricular serão dadas num outro momento. Sinalize que algumas demonstrações e simulações são possíveis de serem feitas com a ajuda da tecnologia. Já os experimentos e testes ficarão para o período de retorno à escola.

9. Procure encarar este momento como uma nova experiência. Os alunos gostam de videoaulas e o isolamento social trouxe a tecnologia para a sala de aula. Esse ambiente virtual favorece o acesso a novos aprendizados e dá uma mostra de como funciona o mercado de trabalho.

Ambiente virtual traz novos valores   

O diretor do GEEaD, Rogério Teixeira, ressalta aspectos positivos da experiência pela qual passam Etecs e Fatecs neste momento de isolamento social. “O formato digital é uma oportunidade para professores e alunos focarem valores como autonomia e inovação”, ressalta.

Para o diretor acadêmico da Cesu, André Braun, esta experiência, imposta pela pandemia, vai contribuir para a transição do modelo tradicional de educação para um modelo híbrido, no qual parte dos cursos poderá ser oferecida no formato digital.

O professor aponta outros aspectos positivos das aulas remotas, como o estímulo às práticas mais dinâmicas, com mais interação e participação dos estudantes. “O distanciamento físico exige do educador um maior dinamismo e do aluno, uma postura menos passiva”, afirma.