Etec Jardim Ângela dá apoio contábil a microempreendedores


25 de fevereiro de 2019

Compartilhe!

Idealizadoras do S.O.S Lucrativo receberam prêmio em dinheiro além de um período para alavancar o negócio l Foto: Divulgação

Ao montar uma empresa de pequeno porte, é comum o empreendedor se deparar com dificuldades na contabilidade. Também não é fácil encontrar um serviço que o ajude a sanar dúvidas ligadas à administração financeira. O S.O.S Lucrativo surgiu com a proposta de ajudar a resolver esses problemas. Criado por duas ex-alunas do curso técnico de Contabilidade integrado ao Ensino Médio da Escola Técnica Estadual (Etec) Jardim Ângela, localizada na zona sul da Capital, a iniciativa já garantiu apoio de investidores para Isabelly de Jesus e Gabriela Santos, idealizadoras do projeto.

O S.O.S Lucrativo atua na administração de finanças, auxiliando empresas, famílias e indivíduos a controlar as dificuldades administrativas e contábeis. A iniciativa surgiu durante as aulas de planejamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na Etec, quando as estudantes identificaram a necessidade de consultoria para empresas da região e enxergaram uma oportunidade de negócio. “Muitas vezes os alunos têm dificuldade de entender como funciona o mercado de trabalho”, conta a professora Tânia Araújo, uma das mentoras do projeto. “Então, buscamos direcionar o jovem a desenvolver um trabalho que possa ser aplicado na prática.”

Após a apresentação do projeto em uma feira de profissões, as jovens decidiram levar a proposta adiante e ofereceram consultoria para uma clínica odontológica da região. O resultado da iniciativa mostrou melhorias nos controles de estoque, no movimento bancário, no caixa, no pagamento dos funcionários e nas demonstrações contábeis.

Diante desse quadro favorável, as professoras Tânia Araújo e Silvana Herculano sugeriram, então, que as alunas se inscrevessem no Quebrando Muros, iniciativa do Instituto Visionários que busca incentivar o empreendedorismo de impacto na periferia da zona sul de São Paulo. O S.O.S Lucrativo foi um dos 24 projetos escolhidos para integrar o programa.

Ao longo do primeiro semestre de 2018, Isabelly e Gabriela participaram de desafios, pré-aceleração e mentoria com profissionais experientes na área de empreendedorismo. Tiveram também a oportunidade de ajudar uma ONG da região com seus serviços. Em julho, as jovens receberam o prêmio principal do programa: um investimento inicial de R$ 30 mil, além de um período de aceleração para alavancar o novo negócio.

Como funciona

Um dos objetivos principais do S.O.S Lucrativo é dar consultoria contábil, com dicas práticas e funcionais. Por exemplo, como uma pessoa que está à frente de uma microempresa deve orçar e poupar para alcançar suas metas. “Muitas vezes, os empreendedores misturam a conta pessoal com a da empresa e se perdem no fluxo de caixa. A ideia é ensinar como se faz essa divisão e gerenciar melhor a parte financeira do negócio”, ressalta Tânia.

Isabelly explica que a duração, características e valor dos serviços do S.O.S Lucrativo são customizados para cada cliente. “No primeiro contato, conversamos com o interessado para entender as necessidades da empresa, as dificuldades e os problemas que precisam ser resolvidos. Com essas informações,  criamos um plano de ação”, esclarece. Um mês depois do fim dos serviços, as consultoras visitam a empresa novamente para checar como estão os negócios.

Um dos motivos que levou o S.O.S Lucrativo a vencer o programa foi a possibilidade de o projeto ser replicado em outras regiões. Inicialmente pensado para auxiliar empresários da zona sul da Capital, o projeto pode ser implantado em outros locais. “O caminho a partir de agora é conseguir mais clientes na região e depois aumentar nosso quadro de funcionários para expandir os serviços”, explica Isabelly. É possível saber mais sobre a iniciativa, entrar em contato com as empreendedoras e solicitar serviços pelo e-mail soslucrativo@outlook.com e pela página do Facebook.

Exemplo

Usado como exemplo na Etec Jardim Ângela, o sucesso das ex-alunas incentiva mais jovens a aplicarem seus conhecimentos no mercado. “Sempre falamos para os estudantes que a entrega de um trabalho vai muito além dos estudos na Etec”, afirma Silvana Herculano. “Um projeto pode gerar negócios, empregos e inserir o aluno no mundo real, possibilitando um impacto social verdadeiro na região onde vivem, além de oportunidades de crescimento.”

Veja Também