Mais duas Etecs ganham estações meteorológicas

15 de dezembro de 2020

Compartilhe!

Dados das estações meteorológicas são atualizados a cada 20 minutos e podem acessados pelo site do Ciiagro | Foto: Divulgação

As Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) Astor de Mattos Carvalho, de Cabrália Paulista, e Orlando Quagliato, de Santa Cruz do Rio Pardo, receberam duas estações meteorológicas para monitorar volume de chuva, radiação solar, temperatura, vento, entre outros dados relacionadas às variações do clima na região. Com os dois novos equipamentos, o Centro Paula Souza (CPS) chega a oito unidades contempladas no projeto financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola (Fundag) e pelo Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), com apoio dos comitês de bacias hidrográficas e da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

De acordo com a diretora da Etec de Cabrália Paulista, Glaucia Rachel Branco Castro, as informações geradas podem auxiliar agricultores na tomada de decisões estratégicas para melhorar a eficiência da produção, bem como servir de suporte para órgãos como Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, entre outros. “A estação dará apoio ao trabalho do Centro Integrado de Alerta de Desastres Naturais, outro sistema instalado na unidade que emite alertas de riscos ambientais como enchentes, estiagens e incêndios”, afirma.

Os dados das estações meteorológicas são atualizados a cada 20 minutos e podem ser acessados pelo site do Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas (Ciiagro), no link Análise de Dados Online.

A iniciativa irá colaborar ainda com estudos técnicos desenvolvidos pelos alunos. “A interação com os equipamentos e o acesso aos dados ajudam a entender melhor aspectos geográficos, além de estimular o interesse pela tecnologia e a criação de soluções para o agronegócio”, destaca a diretora.

Monitoramento ecológico

A estação consiste em um sistema de memória, conhecido como datalogger, que coleta e armazena os dados dos sensores meteorológicos, como temperatura, umidade do ar e do solo, radiação solar, vento e precipitação de chuva. O datalogger é alimentado por uma bateria abastecida por um painel solar, sem necessidade do consumo de energia elétrica. Os dados coletados são transferidos via telemetria celular a um servidor que disponibiliza o acesso à sociedade.

Integram o projeto com outras estações instaladas dentro das unidades, as Etecs Benedito Storani, de Jundiaí, Cerquilho, Mairinque e Piedade, além das Faculdades de Tecnologia do Estado (Fatecs) Itu e Tatuí. A Fatec São Roque e a Etec de Itu também participam da iniciativa.