Fatec Catanduva dá consultoria para instituições filantrópicas


21 de outubro de 2019

Compartilhe!

Estudantes escolhem instituições a serem ajudadas e buscam conhecer a realidade dessas organizações | Foto: Divulgação

Estudantes escolhem instituições a serem ajudadas e buscam conhecer a realidade dessas organizações | Foto: Divulgação

Uma oportunidade para colocar em prática o conteúdo aprendido em sala de aula ajudando instituições beneficentes a se estruturarem e aumentarem os resultados de seus projetos sociais. Há sete anos esta fórmula vem tendo sucesso no projeto Conte Comigo da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Catanduva.

Realizada pelos estudantes quando chegam ao quinto módulo do curso superior tecnológico de Gestão Empresarial, a ação teve início em 2012, dentro da disciplina de gestão de projetos, quando professores e alunos identificaram a possibilidade de desenvolver um trabalho interdisciplinar.

Pela iniciativa, os alunos escolhem as instituições nas quais podem desenvolver as atividades e buscam entender as necessidades da entidade, por meio de visita ao espaço e entrevistas com os envolvidos. Depois disso, começam a construir um modelo de operação. “Outra característica a ser destacada é que eles fazem um estudo dos processos da organização e sugestões de melhoria”, destaca um dos coordenadores do projeto, professor Rogério Spada.

Atualmente, os estudantes do turno da manhã monitoram a Associação Orquestra Escola de Catanduva (OEC), que ensina música para jovens, crianças e adultos. Já a turma da noite cuida do Adorai Kids, que trabalha com apoio escolar e desenvolvimento esportivo por meio de reforço na alimentação e de atividades extracurriculares para crianças e jovens. Cerca de 150 pessoas são atendidas nas duas instituições.

Os 60 estudantes dividem-se em áreas como finanças, marketing, logística e recursos humanos, tendo um “aluno presidente” como líder. Outras turmas, de outros cursos, são incentivadas a participar como colaboradoras. Durante as atividades do Simpósio de Tecnologia, que ocorre duas vezes ao ano na unidade, os resultados são apresentados e divulgados para todos os envolvidos.

Oportunidade

A professora Mariana Sgrignoli é quem coordena o projeto do período matutino. Ela considera que o mais interessante do Conte Comigo é colocar em prática o que foi aprendido na teoria de uma maneira didática e beneficente. “Os alunos ficam muito ansiosos para começar as atividades e ajudar o próximo. É uma sensação maravilhosa e, ao mesmo tempo, de muita responsabilidade coordenar um trabalho como esse”, conclui.

O aluno João Carlos da Silva, presidente do projeto coordenado por Mariana, considera importante a autonomia que os estudantes têm para tomar decisões no Conte Comigo. Além disso, ele vê nessa oportunidade uma forma de retribuição pelo aprendizado gratuito e de qualidade que a Fatec oferece a ele.

Já Mariane Leite Sperandio, que preside o trabalho de consultoria orientado por Spada, ressalta que seu olhar em relação ao próximo mudou. “O maior ensinamento é a capacidade de ter empatia, de compreender e se solidarizar com o outro. O projeto nos melhora como cidadãos”, diz. “Também nos permite aplicar o conhecimento para ajudar a instituição nos aspectos de gestão.”

Resultados

“Nossa instituição mudou para melhor, temos mais palestras, mais organização e mais qualidade na alimentação. E esse trabalho será muito bom para os estudantes no futuro, para adquirirem experiência”, diz a coordenadora do Adorai Kids, Sandra Rodrigues Peixoto Raimundo.

O maestro e professor da OEC, Misael Pereira Salustiano, também destaca o impacto que o projeto da Fatec tem nas instituições da cidade. “Eles já ajudaram diversas entidades e, com certeza, o legado que deixarão por aqui ficará por muito tempo.”

As ações na Adorai Kids e na Associação Orquestra Escola de Catanduva têm término previsto para o mês de dezembro.

Além da consultoria, os alunos realizam campanhas de doações de alimentos e equipamentos e a captação de empresas que patrocinam a ação. Nesses sete anos, a iniciativa já beneficiou diversas instituições filantrópicas do município, como a Apae de Catanduva, Casa do Menor, Grupo de Apoio e Solidariedade ao Paciente com Aids (Gasa), Hospital de Câncer de Catanduva (HCC), Hospital Psiquiátrico Mahatma Gandhi, Instituto dos Deficientes Visuais de Catanduva (IDVC), Lar dos Velhinhos, Projeto Irmã Dulce, Vila São Vicente de Paulo, entre outras. Foram 38 projetos criados e 32 locais beneficiados.

Veja Também