skip to Main Content

Etec Parque da Juventude cria jogos de tabuleiro para a ONU

Etec Parque Da Juventude Cria Jogos De Tabuleiro Para A ONU
Proposta desenvolvida pelos alunos da Escola Técnica aborda direitos humanos e justiça | Foto: Diego Lombo Machado

Um grupo de alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Parque da Juventude topou o desafio de resgatar a popularidade dos jogos de tabuleiro no ambiente escolar. Em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), os estudantes estão desenvolvendo jogos não digitais para abordar direitos humanos e justiça, em uma campanha do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

O contato com a USP foi feito pelo ex-aluno da unidade Luigi Rizzon, bolsista de pós-graduação na universidade, com a proposta de conectar os Ensinos Superior, Médio e Técnico para participar de uma chamada internacional da ONU. A organização propôs um concurso de jogos não digitais para incentivar a consciência crítica sobre assuntos como direitos humanos, racismo, porte de armas, guerras, violência de gênero, corrupção e uso de drogas.

O UNODC selecionou dez propostas para o desenvolvimento dos jogos no mundo e uma delas foi o Purposyum, Challengers of Justice, concebido pela USP. Após essa seleção, houve o contato com a Etec e, durante o segundo semestre do ano passado, 25 estudantes do Ensino Técnico Integrado ao Médio, divididos em dois grupos, realizaram reuniões após as aulas regulares para desenvolver os jogos, sob a orientação de alunos e professores da universidade.

Para Elvirley de Oliveira, professor e coordenador na Etec, a abordagem dos direitos humanos é historicamente importante para a continuidade na transformação do local onde a escola está localizada: o Parque da Juventude abrigou o Complexo Penitenciário do Carandiru. “A opção de fazer jogos não digitais também promove uma interação mais ‘cara a cara’ entre os alunos e permite discussões importantes sobre questões sociais”, afirma.

Processo de criação

A concepção dos materiais é baseada na metodologia das game jams – reuniões nas quais pessoas de diferentes áreas de conhecimento criam um jogo em torno de um tema específico, em um tempo predeterminado. Nesse contexto, os professores deram voz à experiência de cada aluno, além de resgatarem memórias de jogos e brincadeiras, para que as ideias tomassem corpo.

Os estudantes chegaram a quatro protótipos: o Jogo da Consciência, o Diário de Dandara, o PlanIt e o CourtSymulator.  Neste mês, os grupos trabalham na consolidação dos materiais para chegar a uma versão final, que será encaminhada à agência da ONU.

Para o professor Gilson Schwartz, um dos responsáveis pelo projeto na Cidade do Conhecimento, grupo de pesquisa da USP, a criação de jogos hoje é uma dimensão essencial da alfabetização midiática e informacional. “Criar jogos é estar preparado a decifrar e atuar em sistemas digitais vitais que nos dão muitas vezes uma sensação de controle, soberania e conhecimento que é apenas superficial”, explica Schwartz.

Ao final do processo, a ONU distribuirá para escolas do mundo todo um dos jogos criados na Etec e mais nove selecionados de outros países. Porém, como surgiram muitas propostas na Escola Técnica e entre alunos da USP, será feita uma parceria com a rede Games for Change para mobilizar parceiros, viabilizar a finalização de todos os jogos e valorizar a transmissão de conhecimentos acerca dos assuntos abordados.

“A partir do momento em que exercitamos uma pedagogia lúdica, seja qual for o tema do jogo, seus recursos retóricos ou mecânicas de ‘jogabilidade’, estamos reconhecendo o direito de o outro jogar. Com isso, aceitamos que toda a diversidade é possível, tolerável e respeitável”, conclui Schwartz.

Confira aqui o vídeo institucional do projeto.

Notícias

Inscrições do Vestibulinho das Etecs terminam hoje, às 15 horas
Fatec Mogi das Cruzes realiza 3ª edição da Jornada de Tecnologia
Feira gastronômica da Etec Santa Ifigênia termina neste sábado
Congresso sobre sustentabilidade adia prazo de submissões
Começa hoje a feira gastronômica da Etec Santa Ifigênia

Siga o CPS

CPS – Administração Central

Rua dos Andradas, 140 - Santa Ifigênia
CEP 01208-000 – São Paulo – SP
+55 11 3324-3300

Centro Paula Souza. Desenvolvido por AssCom/WEB. Todos os direitos reservados

Back To Top