Aluna da Etec de Mogi das Cruzes cria app para capacitação em TIC


26 de agosto de 2019

Compartilhe!

Aluna da Etec de Mogi das Cruzes desenvolve projetos na área de empreendedorismo social | Foto: Divulgação

Cheia de ideias e de energia para tirá-las do papel, a estudante Virgínia Santos, da Escola Técnica Estadual (Etec) Presidente Vargas, localizada em Mogi das Cruzes, na Região do Alto Tietê, criou a Brasil Inteligência à Vista (BIA), startup voltada ao empreendedorismo social. Com a proposta de desenvolver produtos e serviços que ajudem os jovens a se capacitarem para o mercado de trabalho, a iniciativa está sendo colocada em prática depois de ficar em segundo lugar no último StartUp Weekend São Paulo Young Women, realizado na Capital, no início de junho passado.

O aplicativo traz dicas e tutoriais que permitem ao usuário conhecer a linguagem de internet e se capacitar para desenvolver sites e outros tipos de plataformas eletrônicas. Apresentado na competição, destacou-se pela funcionalidade, autonomia e eficiência como instrumento para qualificação profissional. A conquista rendeu mentorias do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da aceleradora Herd e da plataforma de investidores Kria. Virgínia trabalhou nesse projeto em parceria com colegas de outras escolas da região que também fazem parte da BIA.

Para viabilizar o app, o grupo fez uma investigação sobre as oportunidades do mercado de tecnologia e digital. “Constatamos que a demanda por jovens capacitados nessas áreas é bem maior do que a oferta de profissionais qualificados. Infelizmente os jovens não estão preparados para suprir esse tipo de especialidade”, analisa a estudante. “O app que criamos é bastante intuitivo e com uma linguagem simples que possibilita uma capacitação rápida”, completa.

A expectativa dos desenvolvedores é que o projeto possa colaborar para o incremento do mercado de Tecnologia Informação e Comunicação (TIC), uma vez que a estimativa para os próximos cinco anos é que o segmento demande cerca de 420 mil profissionais com perfil tecnológico por ano, enquanto a média atual de estudantes graduados na área é de 46 mil alunos por ano.

O aumento da demanda se deve, entre outros fatores, à evolução acelerada e consistente da indústria 4.0, que busca profissionais especializados em atuar principalmente nas áreas de Big Data, Inteligência Artificial, Internet das Coisas (IoT) e Segurança da Informação. Os dados são da Associação Brasileira das Empresas da Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom).

O primeiro lugar no StartUp Weekend São Paulo Young Women foi o projeto Black Ladies, da Escola Estadual Dr. Deodato Wertheimer, também de Mogi das Cruzes. O trabalho consiste no desenvolvimento de uma linha de maquiagem para a pele negra. A competição premia produtos e empresas criados durante um fim de semana com o objetivo de fomentar o empreendedorismo jovem feminino no país.