Simuladores ganham espaço nas aulas práticas do CPS

2 de dezembro de 2020

Compartilhe!

Software usado pela Etec Jorge Street, de São Caetano do Sul, permite a simulação do funcionamento de automóveis | Foto: Reprodução

Professores empenhados em manter suas aulas interessantes, didáticas e atrativas criaram estratégias para os cursos oferecidos nas Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais durante a pandemia. Usando simuladores, aulas gravadas em laboratório e estudos de caso, entre outras ferramentas, eles conseguiram transformar um período difícil com experiências que estão mudando os cursos para melhor. 

Quando começou a pandemia, o coordenador dos cursos técnicos de Manutenção Automotiva e Mecânica da Etec Jorge Street, de São Caetano do Sul, Laszlo Szabados Junior, quebrou a cabeça para descobrir como ele e os colegas mostrariam aos alunos diversos aspectos dos automóveis nas aulas a distância. A resposta foi encontrada em um software holandês, que oferece muitas possibilidades para simular o funcionamento de automóveis. Permite, por exemplo, ver certas peças “por dentro”, algo que não era possível nem em laboratório.

O sucesso foi tão grande que o software será incorporado aos cursos quando for possível a retomada das aulas presenciais. “Os simuladores dão condições aos professores de oferecer o aprendizado de que os alunos necessitam para atender às demandas do mercado de trabalho”, acredita o docente.

Opinião semelhante tem o professor Ederson Carlos da Silva, da Etec Pedro Ferreira Alves, de Mogi Mirim. Ele leciona Robótica e Manufatura Flexível no curso técnico de Mecatrônica integrado ao Médio e, diante do desafio de dar as aulas sem laboratório, não se intimidou. Resgatou um simulador que já estava disponível e o transformou no recurso principal para mostrar aos alunos o funcionamento de um braço robótico. “Uma ferramenta como essa potencializa o que pode ser feito presencialmente, já que é possível, no computador, que o estudante corrija seus erros e repita diversas vezes as experiências, algo que nem sempre dá para fazer durante a aula prática.”

Youtuber

A professora Edelma Jacob, da Etec Amim Jundi, de Osvaldo Cruz, também foi desafiada pela ausência das atividades presenciais, mas encontrou outra saída. Ela foi ao laboratório da unidade em que trabalha e gravou a aula sobre preparo de detergente. Outros dois vídeos sobre diferentes tipos de sabão foram filmados na casa dela. “Foi bem gratificante, embora eu não tivesse tanta destreza para gravar as imagens”, conta a educadora sobre sua estreia como “youtuber”.  A ideia não era que os estudantes reproduzissem os experimentos em casa, mas que conhecessem a aparência, a consistência e o passo a passo do preparo dos produtos. “Os alunos se interessaram bastante pelo recurso que usei.”

Nas Fatecs, o empenho dos docentes foi semelhante. Um exemplo é o do professor Celso de Oliveira, que dá aulas no curso superior tecnológico de Projetos de Estruturas Aeronáuticas na Fatec São José dos Campos. O simulador escolhido por ele é da empresa alemã Festo e já existe há alguns anos, mas não era muito usado em aulas presenciais. Agora, é um recurso fundamental. “O simulador dá ao aluno uma visão do funcionamento dinâmico de circuitos elétricos, hidráulicos e pneumáticos, mostrando a movimentação dos elementos de contato e dos elementos mecânicos do circuito, com uma montagem muito intuitiva e rápida”, explica. “Não vou voltar a usar a lousa para desenhar esses circuitos. Vamos ganhar tempo e explorar maior variedade e quantidade de exercícios.”

Para o gestor pedagógico regional da Unidade do Ensino Superior (Cesu) do Centro Paula Souza (CPS) , William Marcos Muniz Menezes, todas essas mudanças vieram para ficar e vão tornar os cursos ainda melhores. Segundo ele, as empresas demandam cada vez mais a operação remota de laboratórios e máquinas. “O mercado quer contratar quem sabe trabalhar online”, explica.

A diretora do Grupo de Supervisão Educacional da Unidade do Ensino Médio e Técnico (Cetec), Sabrina Rodero Ferreira Gomes, endossa a avaliação de Menezes e diz que os cursos só ganharam com palestras internacionais, visitas virtuais a empresas e outros eventos organizados pelas escolas. “Eu enxergo uma nova escola surgindo.”

Aulas remotas

Com a antecipação do recesso escolar para os professores de Etecs e Fatecs, as aulas presenciais foram suspensas no dia 23 de março. O objetivo dessa medida foi atender às determinações da área da saúde. Supervisores, gestores pedagógicos regionais, professores e coordenadores de curso foram capacitados visando a utilização de plataformas eletrônicas para trabalho e ensino a distância. As aulas pela plataforma Teams começaram em 4 de maio. Para que se tenha uma ideia, no segundo semestre de 2020 foram criadas quase 120 mil salas de aula no Teams visando atender aos alunos de Etecs e Fatecs.

Processos seletivos

As aulas deste ano estão chegando ao fim, mas já estão abertas as inscrições para os processos seletivos do Centro Paula Souza para 2021. Interessados em concorrer a uma vaga no Vestibulinho das Etecs têm até o dia 14 de dezembro, às 15 horas, para fazer a inscrição, exclusivamente no site. O valor da taxa é de R$ 19. O ingresso será por meio de análise do histórico escolar, sem a realização de prova presencial ou online.

Quem deseja concorrer a uma vaga nas Fatecs deve se inscrever até o dia 15 de dezembro, até as 15 horas, também pela internet. A taxa é de R$ 39. A seleção também será feita por análise de histórico escolar.