SDE anuncia 6,4 mil vagas de cursos em TI para mulheres

18 de março de 2021

Compartilhe!

A secretária Patricia Ellen com as convidadas Laura Laganá, Camila Archutti, e Rosane Tartari l Foto: Reprodução

Realizada na tarde de quarta-feira (17), a live Lugar de Mulher é na Tecnologia promoveu uma conversa sobre a participação feminina, os desafios e as experiências vividas pelas convidadas, no mercado de TI. Na oportunidade, também foram anunciadas, pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), a abertura de 6,4 mil vagas para cursos de tecnologia para mulheres, sendo 900 vagas exclusivas para alunas do Centro Paula Souza (CPS).

A secretária Patricia Ellen comandou a live, tendo como convidadas a diretora-superintendente do CPS, Laura Laganá, a fundadora da escola de programação e transformação digital Mastertech, Camila Achutti, e a engenheira Rosane Tartari.

A professora Laura Laganá destacou o crescimento significativo das mulheres no CPS, desde as lideranças até as estudantes nas salas de aula. “Identificamos um aumento importante na presença feminina. No último Vestibulinho das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs), por exemplo, 61% das candidatas aprovadas foram mulheres. Já o percentual das alunas matriculadas nos cursos de TI chegou a 30%”.

Ela ressaltou que as mulheres têm conquistado mais espaço e vê os reflexos dessa mudança no mercado: “No mundo corporativo, as grandes empresas estão apostando mais nas lideranças feminina. A sociedade está mudando e percebendo que a diversidade no ambiente de trabalho torna as empresas mais produtivas e criativas”.

Já Camila Achutti contou sua experiência ao optar pela área. “Decidi estudar Ciência da Computação, pois cresci vendo meu pai programar. Mas quando cheguei à faculdade, eu era a única aluna da turma. Foi então, por uma questão de gênero, que eu senti uma necessidade enorme de mudar esse cenário”.

Ela destacou a importância de incentivar que o ensino de conteúdos ligados à tecnologia alcance cada vez mais as mulheres e reforçou que o mercado tem urgência por profissionais com essas qualificações. “As pessoas precisam aprender sobre o assunto, independentemente de qual área sejam ou desejem seguir suas carreias. Ter conhecimento tecnológico é fundamental. Temos de saber analisar dados, programar ou pelo menos saber como pedir por essas demandas”, explicou.

Foi pensando na oferta crescente por vagas no mercado de TI que a engenheira Rosane Tartari decidiu incrementar o currículo e buscar pelo curso de qualificação profissional Banco de Dados, Lógica de Programação e Ciência de Dados, oferecido pelo programa SP Tech.

Mãe de uma bebê de um ano, sem ter conhecimentos anteriores na área, ela contou que o segredo para o bom desempenho nos cursos é a disciplina e dedicação. “É preciso se organizar, separar um horário para assistir às aulas e estudar o conteúdo quantas vezes for preciso, para entender tudo”, contou. “Não são cursos fáceis, mas em seis meses eu consegui evoluir muito no aprendizado. Não pode deixar que o medo atrapalhe a escolha por essa área.”

A secretária Patricia Ellen conduziu o diálogo entre as convidadas e contou sobre as novas vagas de capacitação online para mulheres ligadas à tecnologia. “Estamos abrindo 6,4 mil vagas destinadas a mulheres na área tecnológica e queremos que elas sejam preenchidas rapidamente”, afirmou a secretária. “Esse é um problema bom que queremos ter, precisar abrir cada vez mais vagas.”

As inscrições estão disponíveis para a formação das turmas, no site Via Rápida e, em breve, exclusivo para as estudantes do CPS, no site Minha Chance. Os cursos são uma parceria do Governo do Estado com as empresas Oracle e Cisco. Além de aulas gratuitas, às alunas matriculadas terão a oportunidade de finalizarem a qualificação com grande chance de serem alocadas no mercado de trabalho.

Os cursos anunciados são:

  • Introdução à Base de Dados e Introdução à Programação Java – 500 vagas;
  • *Database Fundations e Java Fundations – 500 vagas;
  • Introdução à CyberSegurança – 5000 vagas;
  • *CCNA1: Introduction to Networks – 400 vagas.

*Cursos exclusivos para alunas CPS na área de tecnologia.

Laura Laganá reforçou aos parceiros dos cursos que as perspectivas em relação à qualificação das alunas são muito boas. “Teremos profissionais excelentes! Nossas alunas têm grande potencial e o resultado dessa parceria será muito bom. Nós vemos a competência feminina no CPS, nas competições, nos hackatons, no empreendedorismo, nos projetos individuais, em tudo que estamos trabalhando”, enfatizou.