CPS compartilha boas práticas no Dia do Professor


15 de outubro de 2020

Compartilhe!

Professores de Etecs e Fatecs apostam em metodologias criativas para viabilizar atividades práticas de forma remota | Foto: Divulgação

Desde abril deste ano, a pandemia trouxe inúmeros desafios para os professores e alunos em todas as unidades de Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado. A necessidade de distanciamento social se impôs, acelerando a adaptação às aulas remotas e os docentes tiveram de ser criativos e rápidos na adoção de novas práticas pedagógicas.

Neste Dia do Professor, 15 de outubro, o Centro Paula Souza (CPS) compartilha alguns relatos e experiências de educadores mostrando como estão superando as adversidades impostas pela pandemia.

Xô preguiça

Mobilizar seus alunos a levantarem da cadeira ou do sofá é o objetivo diário de Gerson Lima Santos, professor de educação física da Etec Pirituba, localizada na Capital. E é com entusiasmo que ele conta como venceu a resistência das turmas em praticar atividade físicas com acompanhamento remoto, via plataforma Teams. “No começo, eu tive de convencê-los a abrir as câmeras para conseguir trabalhar virtualmente”, lembra. “Depois, passei algumas séries de movimentos como atividade avaliativa, pedi que gravassem e me enviassem o vídeo para que eu pudesse corrigir.” Os alunos foram se engajando na proposta e hoje fazem até capoeira pela plataforma. “Minha casa virou roda de capoeira, quadra poliesportiva e sala de aula. Eu exploro os recursos que tenho à mão”, enfatiza.

O docente utiliza o mesmo método nas aulas que ministra também nas Etecs Parque Belém e Albert Einstein e está contente com os resultados. A movimentação corporal, segundo ele, contribui para o desenvolvimento de competências socioemocionais e para a ativação dos hormônios. “Além de minimizar os efeitos do sedentarismo e dos vícios posturais mais acentuados com a pandemia.” O feedback positivo dos alunos pode ser conferido por meio de postagens nas redes sociais dos vídeos com exercícios.

Lives musicais

Os estudantes das Fatecs Zona Leste e Guarulhos compartilham nas redes sociais alguns momentos divertidos, como as lives musicais realizadas nas aulas dos cursos de Recursos Humanos e Logística. O coordenador João Maiellaro dedicou parte do tempo com os alunos desses dois cursos para promover um videokê e estimular a interação entre os calouros. O encontro musical online teve a proposta de quebrar a formalidade e aproximar as turmas que ingressaram em 2020 e quase não tiveram contato presencial. “Recebi um retorno animador dos estudantes, que ficaram muito à vontade, escolheram o repertório e se sentiram motivados para estudar”, avalia.  

Físico-química multimídia

Mas e quando o desafio do professor é simular uma atividade de laboratório para demonstrar a densidade de sólidos e líquidos de forma virtual? Maria Lucia Sanvido, engenheira química e professora da Etec Conselheiro Antonio Prado, de Campinas, não se intimidou. Com mais de 60 anos e pertencente ao grupo dos mais vulneráveis à Covid-19, convidou o colega Eli Heber, também professor, para criar conteúdos relevantes para os alunos. Com uma câmera na mão e boas ideias na cabeça, a dupla grava as atividades da disciplina físico-química no laboratório. “Sempre tive dificuldades com os trabalhos multimídia. Mas com a pandemia aprendi algumas técnicas e as videoaulas estão funcionando bem, consigo uma boa interatividade”, avalia.       

Docente na Etec há 36 anos, Maria Lúcia afirma que experimentou vários formatos até identificar o que funcionaria melhor para as aulas práticas virtuais. Detalhes como materiais e cores que aparecem melhor no vídeo, gestos e até empostação de voz mais adequados foram testados. “Essa pandemia deixou duas lições para nós professores: a educação deve ser praticada com muita paixão e empatia porque também já fomos alunos”. 

Fora do quadrado

O professor do curso técnico de Segurança do Trabalho da Etec Fernando Prestes, de Sorocaba, Luiz Antônio Larios também apostou em videoaulas caprichadas para enfrentar o desafio das atividades práticas a distância. Equipado com aparelhos de monitoramento ambiental, primeiros socorros e combate a sinistros, o docente gravou aulas para demonstrar como essas tecnologias funcionam. “A crise sanitária antecipou muito a revolução digital na educação. Tivemos de sair do formato quadrado da sala de aula e aprender novas competências para garantir o aprendizado aos alunos”, afirma.

Sem fronteiras

Na Fatec Sebrae, na Capital, os docentes também encontraram alternativas para motivar alunos e manter o interesse das turmas. Um dos recursos para tornar as aulas online mais dinâmicas foi a realização de lives com convidados internacionais, de países como Portugal e Argentina. “Os encontros virtuais possibilitaram a participação de especialistas de outras partes do mundo. Essas ações têm sido oportunas para os estudantes terem contato com a comunidade acadêmica internacional”, afirma o coordenador do curso de Gestão de Negócios e Inovação (GNI), Caio Stettiner. 

No próximo dia 27, o designer gráfico Miguel Neiva falará aos alunos sobre empreendedorismo social. Professor da Universidade do Minho, em Braga, Portugal, Neiva ganhou reconhecimento internacional pelo desenvolvimento do sistema ColorADD, que auxilia daltônicos a identificarem as cores.

A Fatec Sebrae promoveu também, em setembro, a live O Processo Empreendedor de MPEs com o professor Jorge Pablo Sela, da Universidade de Lujan, de Buenos Aires. Para superar a barreira do idioma, os participantes receberam previamente uma videoaula do palestrante sobre o conteúdo apresentado no evento.   

Mural da Ruthinha

A Etec Dra Ruth Cardoso, de São Vicente, encurtou a distância entre as pessoas neste Dia do Professor criando um mural virtual para que a comunidade escolar deixe suas mensagens e reflexões sobre a data. O canal desenvolvido por meio da ferramenta Padlet é um ambiente online para postagens. Os professores de Enfermagem foram lembrados pelo trabalho que desenvolvem neste momento de pandemia: “Parabéns por ensinar a cuidar do próximo e a promover saúde. Obrigado por serem firmes e críticos e por fazerem a diferença”, escreveu a estudante Jessica, do curso técnico de Enfermagem.

A estudante Veronika dos Reis, que também cursa o técnico em Enfermagem, deixou uma homenagem aos professores da área: “Quem compartilha o que sabe muda a história de quem aprende”. 

TCC em revista

Os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) em formato de revista eletrônica têm se mostrado uma boa prática, segundo a orientadora educacional Rosangela do Carmo, da Etec Cel. Fernando Febeliano da Costa, de Piracicaba. Esse projeto é implementado pela educadora desde 2018 no curso de Administração da classe descentralizada da Escola Estadual Prof. Catharina Casale Padovani.

A docente ressalta que a produção de artigo científico e publicação em plataforma digital injetaram mais dinamismo e estímulo aos jovens que estão concluindo o curso. “O modelo do TCC em revista eletrônica tem mais aderência ao perfil do aluno de curso técnico que, em geral, tem mais autonomia e competência operacional”, analisa.

Com essa metodologia, a divulgação dos TCCs extrapola as prateleiras de bibliotecas das escolas. Os trabalhos são publicados em sites ou podem ser anexados aos currículos como atividade extracurricular. Os TCCs já apresentaram artigos sobre educação financeira, trabalho remoto, trabalho informal, ecoturismo e influenciadores digitais.

Veja Também