Alunos aprendem política em eleição para vereador mirim

21 de outubro de 2021

Compartilhe!

Alunos acompanham sessão na Câmara, como parte do projeto Parlamento Jovem | Foto: Câmara Municipal de Monte Mor

A Escola Técnica Estadual (Etec) Monte Mor terá um clima diferente nesta quinta-feira (21). Alunos, professores e funcionários participam do primeiro dia da eleição de 15 vereadores mirins e seus suplentes, como parte do Parlamento Jovem, projeto desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal. A votação terá até uma urna, construída por dois educadores, que reproduz o típico barulhinho dos equipamentos oficiais.

São 32 alunos da Etec candidatos às vagas por três partidos: Esperança, Harmonia e Inovação. Nos últimos dias, eles divulgaram suas ideias nas redes sociais, apresentaram planos de governo aos colegas, penduraram cartazes e distribuíram “santinhos”. Seguindo as normas eleitorais vigentes no Brasil, a boca de urna fica proibida nesta quinta e sexta, quando toda a comunidade escolar vai votar.

O projeto começou em setembro e até o início da campanha teve aulas expositivas sobre história do parlamento e conceitos ligados ao tema. Os alunos já visitaram a Câmara, acompanharam sessões ordinárias e conversaram com um representante da Escola do Legislativo de Monte Mor (Elemmor).

“Muitas pessoas dizem que a política é ruim, mas nem sabem o porquê dessa afirmação”, diz o diretor da Etec, Wagner José da Silva. “Este é um projeto de política não partidária que visa ensinar os alunos a participar da política da cidade e a cobrar seus representantes.”

Silva diz que, durante o período da campanha, ouviu alunos convidando os colegas para ingressar em um dos partidos criados pelos estudantes, discutindo o perfil dos eleitores. A empolgação é grande. “Nós estamos tentando chegar o mais próximo possível de uma eleição municipal”, conta o professor de história e projetos de iniciação científica, Roney Staianov Caum, que faz parte do projeto.

Os vereadores mirins tomam posse já na próxima semana e serão apadrinhados pelos parlamentares da cidade. Os alunos devem apresentar propostas aos vereadores e, se alguma delas for consistente, pode até se transformar em lei municipal.

“Esse projeto ensina cidadania, ética, mas, principalmente, protagonismo”, diz Caum. “É importante os jovens entenderem que fazem parte da política.”