Profissionais das Etecs começam a ser vacinados

13 de abril de 2021

Compartilhe!

Professor Marcos e a esposa, Ieda, receberam no sábado a primeira dose da Coronavac | Foto: Arquivo pessoal

Alívio e emoção são algumas das palavras que se repetem quando os professores do Centro Paula Souza (CPS) falam sobre a vacinação contra a Covid-19. Desde a última sexta-feira (9), profissionais da instituição estão sendo vacinados dentro do plano de imunização do Governo do Estado de São Paulo para trabalhadores da educação.  

Nesta etapa inicial, com a disponibilização de um lote de 350 mil vacinas para contemplar todas as escolas do Estado, foi necessário priorizar as funções. De acordo com as diretrizes estabelecidas pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc) para a primeira etapa da vacinação, podem se cadastrar para receber o imunizante os profissionais que atuam na Educação Básica (da Educação Infantil ao Ensino Médio), de todas as redes públicas e particulares, com 47 anos ou mais, que desempenhem funções que exigem maior contato com os alunos ou a comunidade escolar. É necessário fazer um cadastro no site VacinaJá Educação, que precisa ser validado pela direção da Escola Técnica Estadual (Etec). Feito isso, basta verificar quais são as normas de vacinação no município em que o profissional trabalha.

Um levantamento feito pela Unidade de Recursos Humanos (URH) do CPS, com base na folha de pagamento de março de 2021, indica que mais de 6.700 docentes e administrativos preenchem as condições para tomar a vacina neste momento. Os profissionais da limpeza, que atendem aos critérios estabelecidos, de idade e tempo mínimo de vínculo de dois meses, não estão incluídos nesse número porque são terceirizados.

O diretor de Serviços da Etec Aristóteles Ferreira, de Santos, Marcos Augusto Cunha Couto Estácio, de 50 anos, recebeu a primeira dose da Coronavac no sábado (10), em uma policlínica da cidade. Ele estava acompanhado da esposa, Ieda. “É uma sensação maravilhosa, um alívio”, descreve o educador. A segunda dose da vacina será um presente: está agendada para 8 de maio, dia do aniversário de Estácio.

Colega de trabalho do diretor de Serviços, a professora e coordenadora pedagógica da Etec, Maristela de Carvalho Gamba, de 51 anos, se emocionou ao chegar ao posto de vacinação. Ela conta que leva a quarentena muito a sério, pede tudo que é possível pelos serviços de delivery e viu os pais apenas uma vez em 2020, com uma série de cuidados. Feliz com a primeira dose do imunizante, ela pretende continuar adotando medidas de segurança para se proteger e colaborar para a proteção da comunidade.

Em Sorocaba, a vacinação de profissionais da educação também começou na sexta-feira (9). A coordenadora do curso técnico de Nutrição da Etec Rubens de Faria e Souza, Sandra Regina Bicudo da Silva, de 52 anos, correu para fazer o cadastro da Seduc e agendou um horário para se vacinar logo no primeiro dia. “Ai, gente, foi uma emoção tão grande!”, afirma. Ela foi infectada pela Covid-19 no início do ano e teve sintomas leves: dores no corpo, ardor nos olhos, um pouco de cansaço, perda de olfato e paladar.

Sandra conta que teve receio de possíveis reações à vacina, mas não sentiu nada. Ela receberá a segunda dose no dia 7 de maio. Entusiasmada, recomenda enfaticamente que os colegas façam o cadastro e não percam a data de aplicação do imunizante. “Vacinas salvam vidas. Eu torço para que sejam produzidas muitas doses, para todos.”

Maristela, em casa, após receber a primeira dose do imunizante no sábado, em Santos | Foto: Arquivo pessoal
Sandra mostra o comprovante da vacinação; ela correu para ser vacinada logo no primeiro dia | Foto: Arquivo pessoal