Etecs ganham destaque também pela redação do Enem


4 de agosto de 2020

Compartilhe!

Dominar escrita formal e propor solução para o problema proposto são desafios para uma boa redação no exame| Foto: Getty Images

Dominar escrita formal e propor solução para o problema proposto são desafios para uma boa redação no exame| Foto: Getty Images

Como resultado de trabalhos de longo prazo, estudantes de Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) tiveram bom desempenho na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. O destaque desta edição da prova ficou para as Etecs Profª Marinês Teodoro de Freitas Almeida (Novo Horizonte), Profª Luzia Maria Machado (Arujá) e Prof. Armando José Farinazzo (Fernandópolis). Os professores dessas unidades, que há anos vêm preparando os estudantes, merecem o reconhecimento pelo esforço em busca do texto nota mil.

A unidade de Novo Horizonte, localizada no Norte do Estado, comemora o melhor resultado entre as Etecs: 865,76 pontos. O trabalho para alcançar esse desempenho na redação do Enem começou a ser desenvolvido em 2015, quando professores de língua portuguesa passaram a se reunir semanalmente para estudar o exame. A partir daí, criaram uma planilha, usada até hoje, que traz os nomes de todos os 240 alunos do Ensino Médio e suas notas em cada uma das competências exigidas na prova. “Isso nos dá a possibilidade de fazer atendimentos individuais e recuperação contínua”, conta o coordenador pedagógico, Abner Maicon Fortunato Batista.

Além dessa estratégia, o educador destaca um projeto de Direitos Humanos, que envolve toda a comunidade escolar, como parte do método de preparação dos alunos. “O Enem exige respeito aos Direitos Humanos e nós também trabalhamos isso.”

Em Arujá, na região do Alto Tietê, está a Etec que obteve a segunda colocação entre as unidades do Centro Paula Souza (CPS) na redação, alcançando 798,71 pontos. O esforço da escola voltado ao aperfeiçoamento na produção de textos para a avaliação nacional é feito há cerca de dois anos. “Promovemos palestra, simulados de todas as matérias, oficina de redação, projetos na biblioteca”, enumera o orientador educacional, Cristiano Geraldo de Oliveira.

Ele explica que, dias antes da realização do Enem, a escola organiza uma semana de direcionamento, para mostrar aos estudantes como é o exame e reforçar os aspectos da leitura e interpretação dos enunciados, que já são trabalhados enfaticamente ao longo do curso.

Um trabalho integrado e de longo prazo também é o que caracteriza a preparação dos alunos para elaborar uma boa redação no Enem na unidade de Fernandópolis, no Noroeste do Estado. A Etec do município foi a terceira mais bem colocada entre as unidades do CPS, com 787,73 pontos. “Nós procuramos usar reportagens e muita leitura para melhorar a argumentação dos estudantes”, afirma a coordenadora pedagógica, Gislaine Aparecida Lucatte Viana.

Segundo ela, a escola também investe bastante na preparação de seus professores para desenvolver as habilidades de produção de textos. Formações a distância e presenciais, disponibilizadas periodicamente pelo CPS, são recomendadas aos educadores. “Nós temos uma equipe que estuda e se prepara muito”, afirma Gislaine.

Correção

De acordo com informações do Ministério da Educação (MEC), a redação do Enem é avaliada por dois professores, em plataforma online, sem identificação do autor do texto. Cada um desconhece a nota atribuída pelo outro. Se a diferença entre as duas notas for superior a cem pontos no total ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro educador é acionado para fazer a correção. A nota final da redação é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

Ainda segundo com o MEC, são avaliadas cinco competências dos candidatos: domínio da escrita formal; desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo; capacidade de relacionar, organizar e interpretar informações e argumentos em defesa de uma opinião; conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação e elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos.

Ter um bom desempenho na redação do Enem é importante, mas aprender a escrever com clareza e objetividade é fundamental no mercado de trabalho. “A boa escrita te dá mais possibilidades de ascensão profissional”, afirma Batista, da Etec de Novo Horizonte. “Você passa uma confiabilidade maior como profissional quando desenvolve bem essas habilidades.”

Veja Também