Projetos inovadores de Etecs são destaque na 18ª Febrace


6 de abril de 2020

Compartilhe!

Estudantes Ana Luiza, Igor, Júlia, Melissa, Assis e professora Danieli da Etec Irmã Agostina desenvolveram telha sustentável capaz de produzir energia solar | Foto: Divulgação

Estudantes Ana Luiza, Igor, Júlia, Melissa, Assis e a professora Danieli, da Etec Irmã Agostina, estão entre os premiados | Foto: Divulgação

Neste ano marcado pela pandemia do novo coronavírus e necessidade de mais cientistas no mundo, as Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) conquistaram seis prêmios na 18ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). O resultado foi divulgado pela internet no último sábado (4). O Centro Paula Souza (CPS) participou com 12 equipes de 9 unidades,  que apresentaram soluções para problemas do dia a dia.

Entre os projetos da Etecs destacaram-se, por exemplo, telhas que substituíram o amianto por fibra da casca de coco e dispositivos eletrônicos que alertam idosos para o horário da medicação ou chamam a atenção de pais deficientes auditivos para o choro do bebê. Os 12 projetos das Escolas Técnicas expostos na final da Febrace mostraram inovação e criatividade e se sobressaíram entre os 345 finalistas.

O projeto Telha fotovoltaica de fibra de coco e prolipropileno, dos alunos do curso técnico de Química integrado ao Médio da Etec Irmã Agostina, da Capital, ficou em segundo lugar na categoria Ciências Exatas e da Terra. O trabalho foi orientado pela professora Danieli Melo, que atribui a conquista ao comprometimento dos alunos. “Participar da premiação foi uma nova experiência para todos nós”, afirma. “Proporcionou ao time mais autonomia, acesso a metodologias científicas e oportunidade de criar uma opção de fonte de energia limpa e voltada à preservação do meio ambiente.”

As Etecs Bento Quirino (Campinas), Lauro Gomes (São Bernardo do Campo) e Júlio de Mesquita (Santo André) também foram premiadas nas categorias Destaque, Engenharia, Ciências Biológicas e Ciências Exatas e da Terra.   

Febrace virtual

Como acontece desde 2002, a Febrace é realizada presencialmente na capital paulista. Nesse ano, para atender às orientações das autoridades sanitárias de evitar aglomerações, o evento foi adaptado para o formato virtual. Os alunos fizeram apresentações orais de forma online para bancas de avaliadores e foram arguidos também à distância. Vídeos e cartazes dos projetos finalistas foram postados nos canais da Febrace, para internautas conhecerem os trabalhos e interagir, comentar e compartilhar nas redes sociais do evento.    

A Febrace Virtual foi realizada por meio da plataforma Zoom Education e contou com a participação de 125 mil usuários. As bancas de avaliação reuniram 330 avaliadores do Brasil e outros países. O formato remoto permitiu, pela primeira vez, a participação de avaliadores de outros estados e de países como Canadá, Estados Unidos e Portugal.

Concorreram na 18ª Febrace virtual, 345 finalistas de 295 escolas públicas e privadas das 27 unidades da federação, 66 mil estudantes e 510 professores orientadores. A feira é promovida pelo Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica, da Universidade de São Paulo (USP).

Confira os projetos das Etecs premiados na Febrace 2020.

Município

Escola

Projeto

Prêmios

Capital

Etec Irmã Agostina

Participantes: Assis Oliveira, Julia Ferrari, Melissa Komatsu, Ana Luiza Costa, Igor Lima e Danieli de Freitas (orientadora)

Telha fotovoltaica de fibra de coco e prolipropileno

Feita a partir de materiais reciclados, pode substituir as telhas de amianto, que são prejudiciais à saúde. Outro diferencial do produto é a produção de energia por meio de tinta fotovoltaica.

2º Lugar Ciências Exatas e da Terra

Campinas

Etec Bento Quirino

Participantes (1): Moisés Machado, Gabriel Basílio, Felipe de Souza e Antônio da Silva (orientador)

Participantes (2): Victória da Cruz, Jonathan Melo, Regina Kawakami (orientadora) e Marcelus Guirardello (coorientador)

Medprat (1)

Trata-se de um dispositivo automático que, por meio de sensores e leds, alerta os pacientes sobre o horário da medicação. O equipamento garante mais autonomia a pessoas em tratamento.

4º Lugar Engenharia

Silent Cry (2)

Aplicativo ajuda pais com deficiência auditiva, por meio de mecanismo eletrônico que vibra quando a criança chora. O dispositivo e um microfone são instalados dentro de um urso de pelúcia e o som é transmitido via bluetooth para o relógio do usuário.

Prêmio Destaque Instituto 3M

Santo André

Etec Júlio de Mesquita

Participantes: Renan de Assis, Guilherme de Oliveira, Marcelo Takahashi, Agrimaldo da Silva (orientador) e Edna de Almeida (coorientadora)

Aplicação da casca de banana na remoção de permanganato de potássio

Propõe a utilização da casca de banana como biossorvente no tratamento de resíduos industriais. O experimento se mostrou economicamente viável e ambientalmente correto.

4º Lugar Ciências Exatas e da Terra

São Bernardo do Campo

Etec Lauro Gomes

Participantes: Yohan Ferreira, Victor Torres, Bianca Simões, Aparecida Fracchetta (orientadora) e Ana de Souza (coorientadora)

Aplicação dos polifenóis da casca da banana verde para a produção de curativos contra infecções cutâneas

Também propõe o aproveitamento de propriedades das cascas de banana verde, desta vez no tratamento de infecções da pele.

4º Lugar Ciências Biológicas; Prêmio Destaque Weizmann de Excelência em Ciências 2020