Alunos da Etec Guaianazes criam programa para gerenciar vacinas em posto de saúde

Plataforma para desktop e celular facilita a comunicação entre a unidade de saúde pública e os pacientes cadastrados, dispensando o uso da antiga carteirinha de papel; projeto-piloto deve ser implantado no bairro Cidade Tiradentes, na zona leste da Capital

19 de fevereiro de 2018 1:04 pm Etec

Interface do programa é semelhante à carteirinha de papel, com data das dosagens de cada vacina| Foto: Divulgação

Um programa que pretende otimizar o controle de vacinas do sistema municipal de saúde de São Paulo está sendo aprimorado por quatro ex-alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Guaianazes para ser implantado em um projeto-piloto da Subprefeitura de Cidade Tiradentes, na zona leste da Capital. Thiago Silva Cavalcanti, Mayara de Lima Santos, Yago Godoy Garcia e Matheus Uchoa Ribeiro Rosa se formaram no curso técnico de Informática em 2017 e são os autores do trabalho, orientados pela professora Vanessa Ferraz.

O V@cina.com surgiu durante a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos estudantes, ao concluírem que facilitar o acesso a informações sobre a vacinação da população é algo que provocaria mudanças reais em suas comunidades. Dessa forma, criaram um programa que informatiza a carteirinha dos pacientes  para que funcionários do posto de saúde possam atualizar informações, além de acompanharem com maior facilidade a rotina de vacinação da população cadastrada. Segundo os jovens, o projeto facilitará a rotina da unidade de saúde de Cidade Tiradentes, com mais de 800 crianças inscritas. O grupo se reúne periodicamente com agentes da subprefeitura para aprimorar funções e atender às necessidades da unidade. Após esses ajustes e alguns trâmites burocráticos, o sistema será implantado.

“Hoje, a unidade de saúde precisa telefonar para o paciente e alertar sobre a data da vacina, além de examinar relatórios mensalmente para fazer o controle”, explica Vanessa. “Com o V@cina.com, esse processo passa a ser automático. O paciente recebe a notificação no celular e o posto consegue ver quando a mensagem foi visualizada.” O recurso evita que crianças percam a data de tomar uma segunda dose, por exemplo. Apenas funcionários cadastrados, com login e senha próprios, terão acesso ao software, hospedado em plataforma online.

Há ainda outras funcionalidades, como a integração do cadastro de irmãos e responsáveis, a partir da indicação de parentesco, e a possibilidade de a notificação ser enviada diretamente à mãe da criança. É possível, também, fazer a impressão de uma cópia do controle, que deve constar dos arquivos do posto, seguindo a legislação nacional.

Controle nas mãos

Para o paciente, a promessa é de maior autonomia com a instalação de um aplicativo no celular sincronizado em tempo real. É o fim da procura pela carteirinha de papel a cada necessidade de visita ao posto médico. “O papel se degrada e não é possível acessá-lo a qualquer momento”, explica Yago. “No celular, todas as informações associadas ao cadastro no SUS estarão integradas.”

Compartilhe


Veja também