skip to Main Content

Pesquisa da Fatec revela mudanças no mercado calçadista de Jaú

Pesquisa Da Fatec Revela Mudanças  No Mercado Calçadista De Jaú
Crédito: Divulgação | Marcos Bonifácio, à direita, entregou pesquisa ao secretário de Desenvolvimento e Trabalho do município, Carlos Alexandre Ramos

Três anos de pesquisas dentro da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) de Jaú agora vão ajudar o município a alavancar um de seus principais nichos de mercado, o de calçados femininos. O resultado do trabalho do professor Marcos Bonifácio, do curso de Gestão da Produção Industrial, intitulado Diagnóstico do nível de utilização dos conceitos de manutenção industrial nas empresas do APL jauense de calçados femininos foi entregue às principais entidades da região e será usado como base de discussão para aprimoramentos no setor.

“A pesquisa é fundamental. Nós temos muita dificuldade em obter informações precisas sobre os setores produtivos. Nesse caso, o projeto veio ao encontro das nossas necessidades”, relata o secretário municipal de Desenvolvimento e Trabalho, Carlos Alexandre Ramos. “O estudo sinaliza muitas questões que tratávamos como senso comum. Aguardamos o professor ainda em março para expor seu trabalho para um conselho e nos ajudar na avaliação desse diagnóstico, a fim de discutirmos alternativas e fazermos o ramo se recuperar.”

O docente conta que o que mais o impressionou foi a questão da mudança do perfil do empresário. “Chama a atenção o volume de empreendedores novos nesse mercado e também a faixa etária, com 20% deles abaixo dos 30 anos.” O professor destaca também a necessidade de ampliar vendas no exterior e pontua que 48% da produção fica retida no Estado de São Paulo e apenas 23% dos produtores exportam.

O poder de contribuição da pesquisa à cidade foi percebido com o tempo, já que o tema inicial era mais específico, focado na manutenção de equipamentos, área de atuação do docente. “Expandi o universo de coleta de dados e criei vários perfis sobre as empresas, os produtos, os empresários”, relata Bonifácio. “Acabei gerando um material sobre o polo que não tínhamos desde 2004.”

Posteriormente, o professor fez uma parceria com a Prefeitura e com os sindicatos das empresas e dos trabalhadores do ramo calçadista. Uma audiência pública na Fatec ajudou a compor uma lista de propostas para melhorar o que já existe. Foram visitadas e ouvidas cerca de 50 empresas. Segundo cálculos do pesquisador, há na cidade algo em torno de 170 produtores de calçados.

Expectativas

Para os sindicatos, que receberam o projeto em fevereiro, o impacto dos dados fará diferença na realidade do setor produtivo. “O trabalho é uma base de reflexão para os empresários. Fizemos reuniões e, a partir da pesquisa, apontamos algumas reflexões. Agora aguardamos os desdobramentos”, diz o diretor-executivo da Sindicalçados, José Geraldo Galazzini.

Do lado dos trabalhadores, a expectativa é que os dados fomentem o crescimento no setor, melhorando a empregabilidade. “Com informações concretas, as empresas saem do achismo e podemos absorver uma nova fatia de mercado. Com empresas grandes, aumentam as alternativas de trabalho e mais pessoas vão buscar o Ensino Superior, pois terão mais possibilidades de sair da faculdade com emprego na área”, opina o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Calçados de Jaú, Claudemiro Jacintho.

As entidades reforçam ainda a importância de ter a Fatec como fomentadora de pesquisas sobre a conjuntura regional. Na faculdade, há em curso outros trabalhos, envolvendo professores e alunos, e Bonifácio espera que sua pesquisa tenha continuidade. A unidade do município oferece as formações superiores tecnológicas em Construção Naval, Gestão da Produção Industrial, Gestão da Tecnologia da Informação, Logística, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Sistemas Navais, Sistemas para Internet e Gestão Empresarial na modalidade semipresencial (EaD).

Back To Top