skip to Main Content

Paula Souza e Detran assinam convênio para promover ações de educação no trânsito

Paula Souza E Detran Assinam Convênio Para Promover Ações De Educação No Trânsito
Maxwell Vieira, presidente do Detran, secretário de Planejamento e Gestão, Marcos Monteiro e diretora-superintedente do CPS, Laura Laganá, assinam parceria | Foto: Divulgação

O Centro Paula Souza (CPS) e o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) assinaram nesta sexta-feira, 17, um acordo de cooperação para o desenvolvimento de ações conjuntas na área de educação no trânsito. Estiveram presentes o secretário de Planejamento e Gestão do Estado de São Paulo, Marcos Monteiro, a diretora-superintendente do CPS, Laura Laganá, e o diretor presidente do Detran, Maxwell Vieira, entre outros representantes da equipe técnica das duas instituições.

Com duração de um ano, o convênio prevê ações que vão desde o treinamento de professores para tratar do tema em salas de aula das Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais até a promoção de desafios de programação com alunos em busca de soluções para a segurança no trânsito, passando pela realização de fóruns e seminários.

“O Governo de São Paulo derrubou os homicídios no Estado e agora quer derrubar os índices de acidentes de trânsito”, disse o secretário Marcos Monteiro, mencionando a importância da mudança de atitude para a conquista de um trânsito mais seguro. “É de cultura que estamos falando, e é por isso que estamos aqui, com uma instituição de ensino”, completou, elogiando o comprometimento do CPS com a questão da segurança viária.

Segundo levantamento do Infosiga SP, sistema do Governo de São Paulo que reúne dados sobre acidentes de trânsito no Estado, 94 % das ocorrências com mortes são causadas por falhas humanas, como beber e dirigir, por exemplo.  Desde 2015, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, integrado pelo Detran.SP e outros órgãos do Governo, atua para diminuir as mortes no trânsito do Estado de São Paulo. A meta é reduzir os índices à metade até 2020.

“Trânsito é um assunto muito sério, mas as pessoas não falam muito disso”, pontuou o presidente do Detran. “Vamos colher bons frutos com a inclusão desse assunto no currículo das escolas.” A ideia é inserir o tema no dia a dia dos estudantes, ampliando o alcance do debate. Laura Laganá lembrou que a mobilidade e a segurança no trânsito já são preocupações da instituição, que tem alguns projetos em curso nesse sentido. “Essa parceria é muito importante para reforçar essas ações”, afirmou.

Mobilidade no currículo

O engajamento do CPS em ações relacionadas ao trânsito começou em 2015, com o treinamento de professores para abordar a questão da mobilidade em sala de aula. Desde então, 7 turmas foram formadas, com a entrega de 300 certificados. Os professores capacitados tornam-se multiplicadores em suas unidades. Além disso, a partir de 2018 a mobilidade será abordada em todos os cursos que têm Ética e Cidadania como componente curricular, o que significa alcançar 200 mil alunos. Outra frente de atuação, para a qual o CPS espera apoio do Detran, é a produção de material de apoio para disseminar informações.

Atualmente, o governo paulista dispõe de duas importantes ferramentas para promover a segurança no trânsito: o Infosiga SP, que contabiliza e divulga mensalmente as mortes nos municípios paulistas, com perfil da ocorrência, da vítima e da frota; e o Infomapa, sistema de georreferenciamento de casos com óbitos. A partir delas, o Detran firma convênios com municípios de altos índices de morte no trânsito para ações de segurança utilizando dinheiro proveniente de multas. Como resultado, de 2015 a 2017, a média mensal de mortes no trânsito do Estado caiu 6,3%, de 506 para 474.

“O CPS já utiliza dados do Infosiga para priorizar as Etecs localizadas em cidades com maior incidência de mortes”, informou Laura Laganá.

Back To Top