skip to Main Content

Núcleo de Inteligência Competitiva de Jaú capacita profissionais

O Núcleo de Inteligência Competitiva Paula Souza (NIC), da INOVA, agência de inovação do Centro Paula Souza, promove, nos dias 4 e 5 de junho, um curso de capacitação voltado a profissionais de Arranjos Produtivos Locais (APLs) do Estado de São Paulo. Os APLs são aglomerados de pequenas e médias empresas de um mesmo setor que cooperam entre si.

O treinamento do NIC será focado no uso de ferramentas on-line de interação, colaboração e monitoramento de dados. As aulas serão ministradas no próprio núcleo, que funciona dentro da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) de Jaú.

As ferramentas fazem parte do Observatório Brasileiro de Arranjos Produtivos Locais e têm como objetivo integrar os 24 APLs do Estado, oferecendo um banco de dados com informações estratégicas sobre as cadeias produtivas e um canal de contato com centros de pesquisa e órgãos públicos que desenvolvem programas de apoio.

“A ideia é promover um repasse metodológico dos recursos do banco de dados, da rede social e do portal do observatório, estimulando a troca de informações e a inteligência competitiva entre os APLs”, explica a coordenadora do NIC, Emilena Lorenzon.

Também deverão participar do evento representantes de prefeituras, sindicatos, universidades, fundações, institutos e centros de competitividade.

Sobre o NIC

Criado em 2009, na Fatec de Jaú, o NIC é formado por um grupo de professores que estuda e elabora projetos estratégicos de inteligência competitiva. Resultado de uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI), o Centro Paula Souza e entidades locais, o núcleo foi estruturado a partir de uma plataforma on-line com o objetivo dar suporte para o Arranjo Produtivo Local (APLs) de calçados femininos da região.

Com base nas pesquisas produzidas pelo núcleo, o banco de dados foi crescendo e hoje conta com um mapeamento completo da indústria calçadista do País e também de outros setores produtivos, sendo considerado modelo para os APLs do Brasil.

Atualmente, São Paulo conta com 24 APLs e 22 aglomerados produtivos, integrando o programa de incentivo da SDECTI.

Back To Top