skip to Main Content

Ex-aluno da Etec Guaracy Silveira vai aos EUA apresentar pesquisa

Ex-aluno Da Etec Guaracy Silveira  Vai Aos EUA Apresentar Pesquisa
Crédito: Divulgação | Trabalho do jovem foi escolhido após apresentação em evento estudantil

Espalhar a ciência brasileira pelo mundo. Esse é o plano do ex-aluno da Escola Técnica Estadual (Etec) Guaracy Silveira, localizada no bairro de Pinheiros, na Capital, Gabriel Ronatty. Na próxima semana ele apresenta seu trabalho de iniciação científica, desenvolvido nos tempos em que estudava na Etec, na Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Intel ISEF), uma das maiores feiras científicas do mundo. O evento ocorre de 14 a 19 de maio, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

A pesquisa Avaliação do detergente mais eficiente para descelularização pancreática visando a criação de um pâncreas bioartificial para o tratamento do diabetes tipo 1 foi credenciada para a feira internacional após sua apresentação na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), promovida pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), em março. Além do prêmio Intel, o trabalho ficou em segundo lugar na classificação geral.

Com a hospedagem e passagem garantidas, Gabriel precisa agora de auxílio financeiro para se manter por quase uma semana na Califórnia. Para isso, a Etec lançou uma vaquinha online para levantar 500 dólares e bancar sua alimentação e transporte. Até a terça-feira, dia 9, foram arrecadados R$ 945, 63% da meta.

A ideia foi da diretora da escola, Maria de Lourdes Serodio. “Desde o começo do curso, Gabriel surpreendeu a gente. Ele correu atrás da iniciação científica” conta Maria de Lourdes. “Estamos nos mobilizando para ajudá-lo a dar esse passo e levar o nome da escola e do Brasil até a feira.” É possível contribuir com qualquer valor pelo site Vakinha.

O jovem deve viajar com sua orientadora, Mari Cleide Sogayar, do Laboratório do Núcleo de Terapia Celular e Molecular da Faculdade de Medicina da USP. Foi ela quem convidou Gabriel para realizar a iniciação científica na universidade.

Coletivo

“A Guaracy tem um ambiente muito diferente de todos os outros lugares, onde a preocupação com o coletivo é muito grande”, diz Gabriel. “Passei a ter o desejo de ajudar outras pessoas. Já tinha a vontade de ser endocrinologista e concluí que a melhor forma de ajudar era com a pesquisa científica.”

Após três anos trabalhando no laboratório, ele conseguiu chegar a um detergente eficaz para criar uma matriz propícia para a produção do pâncreas artificial, órgão importante na síntese de insulina e para o processo de prevenção do diabetes.

Back To Top