skip to Main Content

Centro Paula Souza debate reforma do Ensino Médio

Centro Paula Souza Debate  Reforma Do Ensino Médio

O Centro Paula Souza (CPS) promoveu nesta terça-feira, dia 6, mais um encontro semestral do Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo (Fepesp). O evento tem como tema O Impacto da Reforma do Ensino Médio na Educação Profissional.

O encontro contou com uma apresentação do educador Francisco Aparecido Cordão, que presidiu o Conselho Estadual de Educação de São Paulo, o Fórum Nacional de Conselhos Estaduais de Educação e a Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Na mesma mesa estava a coordenadora de Gestão da Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação (SEE), Valeria Souza, que apresentou um dos desenhos que a secretaria já fez para a reforma.

Os participantes puderam assistir a apresentações sobre a forma como as instituições de educação profissional que integram o fórum estão se preparando para as mudanças no Ensino Médio: Centro Paula Souza, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).

“Precisamos conhecer melhor o jovem que chegará aos cursos de ensino profissionalizante, quais as suas qualidades e deficiências”, afirmou o coordenador do Ensino Médio e Técnico do CPS, Almério Melquíades de Araújo. “Precisamos conversar mais com as escolas estaduais, conhecer melhor o Ensino Médio.”
O auditor educacional do Senai-SP José Carlos Mendes Manzano destacou a articulação que encontros como esse promovem entre as grandes redes de ensino profissional. “Nossos principais desafios são atender a demanda, instalar a base nacional e promover a formação de docentes”, disse.

Mudanças

A lei que determinou a reforma foi sancionada em fevereiro. As alterações dependem ainda da homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), conjunto de orientações que deverá nortear os currículos. A previsão é que a BNCC seja aprovada ainda em 2017.

A reforma do Ensino Médio prevê que os alunos cursem disciplinas básicas e optem por um itinerário formativo, o que faria com que os jovens estudassem temas mais ligados aos seus interesses. As cinco áreas de estudo que a nova lei prevê são: linguagens, matemática, ciências humanas e sociais aplicadas e formação técnica e profissional.

Back To Top