skip to Main Content

Alunos criam sistema que desliga luzes e aparelhos eletrônicos ao fechar a porta

Alunos Criam Sistema Que Desliga Luzes E Aparelhos Eletrônicos Ao Fechar A Porta
Crédito: Gastão Guedes | Projeto foi apresentado por Dality Zocal e Luis Henrique Plens na final do 3º Desafio Inova Paula Souza de Ideias e Negócios

Apagar as luzes e desligar os equipamentos eletrônicos de um prédio com muitas salas é um desafio de economia de energia e gastos para qualquer empresa. Para resolver essa questão poupando recursos e a vida útil dos aparelhos, além de reduzir os riscos à segurança dos imóveis, cinco alunos do curso tecnológico em Gestão Empresarial da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Piracicaba desenvolveram um sistema de baixo custo que desliga a energia elétrica ao trancar a porta. Ao girar a chave apenas uma vez, a iluminação do ambiente é cortada. Ao dar o segundo giro, o fornecimento de energia é totalmente interrompido.

No sistema criado pelos alunos Luis Henrique Plens, Dality Zanchetta Zocal Batista, Alcides Baptista da Silva Junior, Débora Aparecida Machi Gabriel e João Ricardo da Rocha Silva, a fechadura da porta de entrada do imóvel é modificada para controlar o fornecimento de energia. A comunicação entre a fechadura e o sistema é feito por meio de um cabo de rede.

“O grupo teve a ideia pensando na própria faculdade e em prédios com muitas salas. Em várias situações, as pessoas esquecem equipamentos elétricos ligados. Ao longo do tempo, esse desperdício acaba onerando o custo, diminuindo a vida útil de equipamentos e colaborando com a ineficiência energética na sociedade”, diz o estudante Luiz Henrique Plens.

O aluno explica que, geralmente, as empresas utilizam sistemas de automação de alto custo para reduzir o consumo de energia. Ao buscar uma alternativa mais barata, o grupo desenvolveu o projeto Apagaluz, que foi um dos finalistas do 3º Desafio Inova Paula Souza de Ideias e Negócios. O custo estimado para instalar o sistema em uma sala com um circuito de tomadas, um de ventiladores e dois de iluminação, a preços de varejo, é de aproximadamente R$ 80.

“Resolvemos unificar alguns mecanismos que já se encontram nas edificações, apenas adaptando-os. A inovação está justamente na unificação inteligente de sistemas que antes eram independentes. Decidimos focar nessa solução devido ao baixo custo comparado aos métodos convencionais”, conta Plens.

A professora Nilceia Santos, orientadora dos estudantes, destaca a viabilidade do Apagaluz. “O projeto não é caro. A casa ou o apartamento já podem ser construídos com o sistema instalado. Nos imóveis já existentes, a adaptação pode custar um pouco mais porque é necessário verificar as condições da fiação, mas ainda assim é viável”, afirma a professora, que enumera os benefícios do mecanismo: “Gera economia no bolso; reduz o consumo, evitando a construção de novas hidroelétricas e, consequentemente, diminuindo os impactos ambientais; evita o risco de incêndio por curto-circuito e aumenta a vida útil dos equipamentos, já que a oscilação da energia elétrica pode danificar ou queimar os aparelhos”.

Confira o funcionamento do protótipo do projeto no vídeo.

Back To Top