skip to Main Content

Alimentador automático para animais de estimação é invenção de alunos da Etec Bento Quirino

Alimentador Automático Para Animais De Estimação é Invenção De Alunos Da Etec Bento Quirino
Crédito: Gastão Guedes | Software permite ao dono visualizar dados e programar refeições

Cuidar de um animal de estimação é um desafio para quem passa o dia inteiro fora de casa ou quer tirar um período de férias. Elias Yuri Máximo, Isaac Nobre Garcia e Rafael Antonio Vrech, alunos do curso técnico de Informática integrado ao Ensino Médio na Escola Técnica Estadual (Etec) Bento Quirino, de Campinas, se debruçaram sobre o problema. Eles criaram o Alimentador automatizado para animais, projeto que participou da 9ª Feira Tecnológica do Centro Paula Souza, a Feteps, e foi selecionado para a 14ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace).

O aparelho integra um software ao alimentador, feito com materiais de baixo custo, e arduíno. No galão de água é depositada a ração seca do animal. Embaixo, um recipiente vai recebendo doses de comida conforme a programação do dono, sem que ele precise reabastecer manualmente o prato a cada refeição.
No programa de computador é que são registradas as configurações do animal: quantos gramas de ração devem ser liberados, quando e com qual frequência. Para ajudar nos cálculos, um sistema de monitoramento do pet registra os hábitos do bicho no computador: quantas vezes ele busca alimento e quanto ele come em um determinado período de tempo. Uma webcam registra os momentos e transmite a imagem para o desktop com os dados.

A partir da reunião das informações, o software gera gráficos para facilitar a interpretação do usuário com relação às necessidades e gostos do seu cachorro. On-line, o sistema pode ser acompanhado a distância, ou seja, o dono pode ver se seu pet está sendo bem alimentado e mudar a programação das refeições remotamente.

Criação

Os três alunos da Etec de Campinas criaram o projeto para a Bentotec, uma feira cultural e tecnológica já tradicional na unidade, que reúne trabalhos de estudantes nas áreas de Gestão, Indústria e Tecnologia da Informação. Na feira da escola obtiveram o segundo lugar.

“Os alunos observaram sua necessidade quando precisavam deixar o cachorro sozinho. Foi então que desenvolveram o produto de forma inédita, sem referências de existir algo igual”, explica o professor orientador do grupo, Marcelo Passaro Fontana. Segundo Rafael, depois de muitas pesquisas e testes com modelos de alimentador existentes o mais parecido que encontraram ainda oferecia pouca liberdade ao dono do animal. O produto é vendido somente fora do Brasil por cerca de 150 dólares.

Para o evento de apresentação dos trabalhos na Febrace, que ocorre em março, na Capital, o grupo, com um integrante a menos – agora apenas Isaac e Rafael dão continuidade ao projeto – realiza alguns aperfeiçoamentos. “Estamos trabalhando para conectar o alimentador ao programa de computador via wi-fi e começamos a testar o sistema para ser usado em celulares”, conta Rafael. Os jovens também buscam parcerias para patrocinar a invenção.

Back To Top